domingo, 9 de agosto de 2009

Taxista carente

Sexta à noite, ao entrar em um táxi após uma saída não muito feliz, encontro um taxista carente de atenção. Era tudo o que eu precisava para fechar meu dia bem. Entrei no carro, dei o endereço e fiquei calada. Não queria conversar sobre o tempo, trânsito, mercado de transportes e nem gripe suína. Mas eis que o senhor fulano resolve falar...

_ O que que tava acontecendo ai?
_ Um encontro de estudantes de História.
_ Ah, daqueles que quem sabe mais fala mais que os outros?
Pensei. Entendi.

_ Um seminário, congresso...é isso que o senhor quer dizer?
_ Isso, que tem palestras.
_ É isso sim.

E voltei à minha caverna esperando sossego. Mas ele insistiu.

_ Você faz História?

Pensei novamente. Ainda bem que a gente pensa, pensa muito...

_ Não, estudo Comunicação.
_ Comunicação é aquele trem de jornalismo?

Céus...vamos lá para a parte mais difícil....

_ Jornalismo é uma das áreas da comunicação. São basicamente três: Jornalismo, Publicidade e Propaganda e Relações Públicas. Eu faço Relações Públicas.
_ E o que é esse trem de Relações Públicas?

Fiquei apavorada. Tento há quase três anos explicar para meus pais o que faz um relações públicas e eles ainda não entenderam bem. Agora eu teria que explicar em alguns minutos àquela alma falante antes que ela fizesse alguma terrível alusão a minha futura profissão...

_ Nós estudamos gestão de relacionamentos (o que eu estou falando...?). A gente percebe quem são os públicos para uma ação de comunicação e trabalha de maneira específica. Posso trabalhar em empresas, hospitais, escolas, tv...e sempre conto com o trabalho das outras áreas.
_ Ah, entendi.

Duvido, não expliquei nada para ele...

_ E vocês estudam geografia, história..?
_ Sim, basicamente essas duas e português. O curso é da área de humanas.
_ Ah, então é fácil. Num tem física, química, matemática...

Claro que é fácil! Entender as pessoas, dirigir-se a elas é MUITO FÁCIL. Difícil é fazer ponte, porque ela fica dando palpite na estrutura, deturpa o projeto...

_ Eu tô perguntando porque eu separei agora. E quando a gente separa, fica meio deprimido, sabe?
_ Aham, sei...
_ Ai falei com minhas filhas que vou fazer faculdade.
_ Ah sim, muito bom! Faça mesmo, ocupar um pouco a cabeça, começar uma nova atividade...
_ Eu tô muito triste.
_ Olha, não fica assim não. Minha mãe quando separou também ficou triste, todos ficamos. Hoje ela está muito bem, estuda Direito...forma no próximo ano.

Chegamos.

_ Quanto deu?
_ R$ 16, 80.

O telefone toca e logo ele desliga, antes de me dar o troco. Segundo o taxista, o papo - lê-se monólogo - estava bom. E após ficar mais uns cinco minutos aconselhando o pobre homem, passando endereços para que ele conseguisse bolsas de estudo e invocando Deus para abençoar a vida, saí do carro pensando no porquê de eu não ter feito psicologia e ainda não ter entrado para alguma igreja...

3 comentários:

Luis F disse...

Um texto bem escrito que merece ser lido e apreciado...

Parabens

Luis

apenasumfolego disse...

usadhuadhsau
adorei prima...
me diverti e me coloquei na sua pele conversando com a "alma falante"... rsrs
detalhe, tbém ainda não consigo explicar o que é RP pra meus pais ou qualquer outra pessoa importante pra qual qu queira dar satisfação...
eis um probleminha! rs

****Josi**** disse...

Amiga, bem vinda ao clube das psicólogas frustradas, ou pseudo psicólogas, tá? Mas, porém, meu sonho não morreu, e assim que eu tiver um tempo $$$$$ vou pegar meu diploma, rs. Me encontrei tanto nesse texto, meu dia a dia é assim... dar consultas gratuitas é fácil né? Concordo com vc, difícil é fazer ponte...